quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Triumph TR6 by The GasBox

Impossível não se apaixonar por essa Triumph 650 dos anos 60, com uma personalização inspirada na Vicent Black Shadow, que foi uma das motos mais icônicas da Inglaterra. No fim das contas ficou com uma carinha e jeitão de Bobber, mas isso nesse caso foi ótimo. Excelente trampo da Oficina Americana GasBox .

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Primeiro Encontro Cafe Racer Brasil

Para encerrar esse ano de uma maneira bacana, vai rolar o 1º Encontro do Cafe Racer Brasil, no dia 18 de Dezembro, no estádio do Pacaembu em São Paulo. Confira o chamado oficial do Evento:
"O maior grupo brasileiro sobre customização e sobre o movimento Cafe Racer convida seus membros e a todos os entusiastas para um encontro para celebrar o final do ano, bater um papo, trocar conhecimento, conhecer amigos virtuais pessoalmente e curtir um dia juntos com muita moto bacana pra olhar. Se você customiza motos, está mais do que convidado a levar uma ou mais motos suas para mostrar seu trabalho. Se você vende qualquer coisa relacionada ao universo da customização também é muito bem vindo a encostar seu carango com seu trabalho para fazer sua propaganda. Se você tem uma barraca de espetinho ou faz um rango legal, também será muito bem vindo a encostar por lá e fazer seu pé de meia. O evento é informal, gratuito e aberto a todos. Todos serão muito bem vindos."
O Garagem Cafe Racer da total respaldo a esse evento e realizará a cobertura do mesmo. Chega lá, que estaremos te esperando!


segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Cafe Racer da Tarde


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Honda CB 500 1975 BratStyle - King Dreams

Normalmente costumo escrever os textos das matérias, mas o texto abaixo com a jornada dessa bela moto está tão bom que me senti na obrigação de reproduzi-lo.

Segue então o texto do Anselmo Nunes.

Este texto contará um pouco do sonho de construir uma moto e as dificuldades deste processo. Para facilitar o entendimento, dividi em capítulos.

A Decisão

Sempre fui um amante de moto e durante a vida tive oportunidade de comprar inúmeras motos, com diferentes tamanhos e motores, 2 e 4 tempos, de 125 a 750 cilindradas, de trails a customs.

A cerca de 3 anos estava decidido a customizar uma Honda VT 600, pois já tive uma e sei que se trata de uma ótima moto para customizar e usar no dia-a-dia, porém, a cerca de 2 anos comecei a me interessar pelo estilo Café.

No entrando, no Brasil é muito difícil encontrar motos antigas para restauração, pois o mercado de motocicletas começou a se desenvolver nos anos 80, e com raras exceções, qualquer moto antes deste período é de baixa cilindrada e, normalmente, impossíveis de se restaurar por conta de seu estado de conservação.
Linhas mais limpas tornaram essa CB 500 '75 muito mais bonita
A Escolha

Despertado o desejo de construir uma café e com a missão de encontrar uma moto para o projeto, foram meses procurando algo que me agradasse e que estive ao alcance do budget (orçamento) que havia separado para isto, mas infelizmente não encontrei nada.

Como meu som preferido é das motos de 4 cilindros, o que tornava minha busca ainda mais difícil, pois somente uma poucas CBs 750 vieram para o Brasil durante os anos 70 e ainda menos CBs 500.

Um dia, voltando do almoço e checando e-mails pessoais antes de retornar ao trabalho, recebi uma nova oferta de um dos inúmeros sites de venda de motos e carros que diariamente consultava na tentativa de encontrar a moto para meu projeto.

A moto da vez era uma CB 500 1975, e estava em um estado aparentemente perfeito para meu projeto e um pouco acima do valor que estava disposto a pagar, porém em uma cidade do interior de São Paulo (Estado) que é longe para ir durante um dia de trabalho durante a semana.

Eu, que normalmente não tomo decisões por impulso, peguei o telefone, liguei para o proprietário, e com o endereço em mãos, levantei da mesa de trabalho e resolvi dirigir até a tal cidade para ver a moto, e 3 horas depois já havia negociado e comprado uma moto para meu projeto.

A próxima tarefa foi ligar para minha esposa e explicar que, durante um dia de trabalho, eu estava no interior e tinha comprado uma moto de 40 anos de idade, e apesar de esperar uma discussão acalorada sobre minha irresponsabilidade a resposta foi: QUE BOM, MAS NÓS VAMOS REFORMÁ-LA?
Quatro saídas de escapamento, preferência nacional, com o Anselmo não é diferente
O projeto

Como pode ver na foto acima, o som do escapamento 4x1 obviamente foi a fator determinante para a compra, e neste momento eu sabia exatamente o que gostaria de fazer com ela:  linhas limpas e simples.

Mesmo assim foram incontáveis horas colhendo referências e, talvez milhares de fotos armazenadas no computador até decidir como seria o futuro do projeto.

Um misto de Bratstyle e Street, mas com todos os itens de segurança e legais para atender as normas de trânsito locais, ou seja, UMA MOTO PARA RODAR.
Tanque original e o banco Brat pra rodar bem acompanhado
A construção

Com as etapas anteriores cumpridas e sendo eu analista de sistemas e publicitário, tinha que encontrar um construtor que me ajudaria a atingir meu objetivo, mas que eu conseguisse pagar.

São Paulo (onde moro) é maior cidade do país e com a maior quantidade de oficinas e o bairro da Móoca tem uma reconhecida cultura de customizações e restaurações de carros e motos antigas e isto facilitou muito a procura. Depois de passar por oficinas grandes com valores e agendas que não me atendiam, encontrei uma pequena oficina com 2 garotos com talento e vontade de fazer meu projeto.

Apesar disto, outros obstáculos apareceram, o primeiro ficou claro na primeira semana de trabalho. Por tratar de uma moto rara, não era fácil encontrar as peças para o projeto.

A solução seria comprar as peças que eu queria e tinha visto em centenas de projetos em sites europeus e americanos. Isto seria fácil, não fosse o atual momento político e econômico do Brasil, que além dos impostos abusivos de importação (60%) ainda tinha a desvalorização do REAL (R$) frente ao Dólar (U$), que fazem com que cada peça chegasse aqui por quase 7 vezes seu valor de etiqueta.

Isto inviabilizou a compra de alguns itens do projeto original, que foram substituídos por itens mais baratos.

Mesmo assim estava focado na qualidade da entrega final, pois sabia que dificilmente havia outra oportunidade de entrar outra moto parecida para outro projeto.
Guidão , piscas e velocímetro novos, tudo minimalista
A Conclusão do trabalho.

Seis meses se passaram entre a compra e a primeira volta oficial, visitas semanais a oficina para conferir o progresso e orientar os próximos passos. Muito dinheiro depois este é o resultado desta empreitada.
A frente da Suzuki GS 500 casou bem com a CB

A opinião do editor: Bem, esse é um projeto de Brat que conquista pela beleza da moto e sua execução é algo digno de nota. Um ótimo trabalho em conjunto do Anselmo, o dono da moto que sabia muito bem o que queria, e da King Dreams que conseguiu atingir as altas expectativas criadas com uma execução ótima.

P.S: Agradecimento especial ao André Santos, fotografo que fez essas belas imagens da CB 500.

Retrovisores ponta de guidão, item charmoso em qualquer projeto

Características Técnicas

Moto: Honda CB 500 1975 BratStyle
ARO: 17 polegadas na dianteira e traseira com Cubos Originais

PNEUS
Pirelli Sport Demon 140x70x17 na Traseira
Pirelli Sport Demon 110x70x17 na Dianteira

Suspensão Dianteira: Suzuki GS500
Escapamento 4x1 Torbal

Construtor: King Dreams
https://www.facebook.com/pages/King-Dreams-Oficina/217363808463010?fref=ts

Fotógrafias: André Santos
http://www.andresantosfotografia.com/
https://www.facebook.com/ANDROPHOTO/?fref=ts


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Cantinho dos Sonhos

Uma sala que não é lá o ápice da decoração, mas 3 itens já fazem o coração bater mais forte.
Primeiro, uma bomba de gasolina da Sky Chief Gasoline que se tornou uma descolada luminária e claro as duas belas motos do outro lado da sala, uma Cafe Racer e uma Brat.
Ainda bem que não sei quem é o dono, porque com certeza o visitaria toda semana...

Boa sexta à todos!

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Honda CG 125 Cafe Racer - Costacurta Garage Custom

Motos pequenas podem dar projetos bem legais, nunca duvide disso. Hoje é justamente um projeto de uma pequena cilindrada que vem mais uma vez corroborar essa afirmação.
Direto de Cascavel, no Paraná, nasceu a jovem Costacurta Garage Custom, uma garagem e customizadora familiar capitaneada por Dino o pai e seus dois filhos ainda muito jovens, Victor e Eduardo Costacurta.
Tanque de Hunter casou bem com a CG
Motos estão no sangue da família faz um bom tempo, sendo em longas viagens ou em trilhas que os três já rodaram.
O primeiro projeto deles é justamente essa Honda CG 125 2001 de propriedade de Gustavo Del Prete. Em uma conversa de bar, o mesmo queria algo diferente para sua CGzinha e a família Costacurta abraçou a ideia.
Uma bela moto que passa a ideia de diversão claramente
Praticamente tudo foi trocado ou alterado na moto de forma bastante artesanal. A começar pelo chassi que foi cortado e refeito seguindo o mantra da horizontalização das linhas gerais. O mesmo foi encurtado e tem uma elevação que dá o final do quadro e uma base interessante para o banco.
Linhas bastante agradáveis e corretas
O tanque de Sundown Hunter substitui o original e foi pintado por Fortunato Custom's, além disso,  a grafia "Honda" simula a grafia das Norton. A mesa e farol vieram de uma Suzuki Intruder. Retrovisor ponta de guidão, novas manoplas e velocímetro também ajudam a dar uma nova cara a frente da CG.
O belo escape na medida certa
Rodas aro 18" com pneus Rinaldi Duna Evo 110/80 - 18 na frente e na traseira, o escape é uma bela peça mais curta e cortada com uma nova ponta soldada, feita pelo Gerey também de Cascavel. Lanternas e piscas novos respondem pela iluminação da moto.
Banco na cor caramelo bem acabado 
Bianca Tapeçaria fez o banco, já o guidão e o suporte para recuar os pedais foram feitos artesanalmente pelos próprios Costacurta, além dos para lamas de cg bolinha cortados. A bateria ficou no local onde antes era o filtro de ar e as tampas foram feitas por eles em fibra de vidro.
A família Costacurta Garagem Custom e sua criatura
Este é um projeto low budget da Costacurta Garage Custom, mas isso não significa que por não ser investido um caminhão de dinheiro, que o projeto deva parecer barato, mal acabado ou feio.
Bom gosto, bom acabamento, escolha de peças corretas, tudo isso forma um projeto de respeito e que pode ser referência para toda uma galera que quer fazer a sua moto.
Só esperando os próximos projetos que virão, talento essa família tem. Curti e compartilhei! 😉


Costacurta Garagem Custom - Tel: (45) 99803 2040

Instagram: https://www.instagram.com/costacurta_garage/

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Yamaha RX 80 Cafe Racer


Quem é de São Paulo e frequenta os encontros de clássicas no Pacaembu ou já foi em um Distinguished Gentleman's Ride, já viu essa pequena grande cafe racer liderando o pelotão no evento.
Frente baixa, sem para lama, com semi guidões. Pronta pra correr
Thiago Matiussi, o proprietário, encontrou a pequena em Jundiaí pelo site OLX, depois de trazida para a capital, a moto recebeu alguns ajustes para ganhar a placa preta e após isso foi para a Recar para ser "cafeínada", vale lembrar que a Recar é uma das maiores referências e até onde meus parcos conhecimentos sabem, a pioneira em cafe racer no Brasil, muito antes dessa explosão de projetos, a oficina já mandava ver em diversos projetos.
Tubo do óleo 2T fica perto das jóias da família, se é que me entendem...
Quadro encurtado, mesa retrabalhada para retirar os "risers" foram só o começo. Inspirado nas Norton Manx, foi feito um caprichado trabalho de fabricação do tubo de óleo 2 tempos a frente do banco.
O banco integrado a rabeta foi inspirada nas Mondial e Italjet e ajudam a dar o caráter mais racing a moto. A traseira tem um para lama mais curto com a nova lanterna. Já a frente não possui para lama.
Mesa retrabalhada e o tanque original, como novos
O velocímetro é uma peça incrível e quando vi pessoalmente essa moto anos atrás no Pacaembu, foi uma das coisas que despertaram minha curiosidade. A peça é um amálgama de um globo ótico de Ducati com velocímetro Smiths da Royal Enfield Indiana. Setas novas com lente transparente, semiguidões e um espelho ponta de guidão apenas do lado esquerdo completam a frente baixa e invocada.
Motor retrabalhado, escapamento Sarachu e suspensão marzocchi
O motor foi retrabalhado com a receita das Yamahas de corrida da época mas não temos os números pois a mesma nunca foi medida formalmente, o que sabemos é que ela corre bem e faz barulho, graças ao escapamento Sarachu que ajuda a dar um empurrãozinho a mais além de gritar mais alto.
Rodas e pneus casam perfeitamente com essa moto e são ótimas para qualquer projeto de pequena cilindrada
Rodas tamanho 18" com aros Viper e pneus Vipal que não são caríssimos mas são bonitos e funcionais. Os freios são os originais a tambor e a suspensão dianteira é original com a mola trocada por uma nova apenas. As suspensões traseiras são de primeira, Marzzochi, a elétrica originalmente de 6v foi para as mais comuns 12v e a bateria está na frente do cilindro, o que ajudou a limpar a lateral abaixo do banco da moto.
Rabeta integrada ao banco em couro preto
Como todo grande projeto, o mesmo ainda não está finalizado, pois sempre há algo para aprimorar. Os próximos passos serão aumentar o cubo dianteiro mas ainda mantendo o freio dianteiro a tambor, pois o Thiago gosta do visual vintage que os mesmos proporcionam. Além do cubo, a suspensão dianteira também será substituída por outra melhor.
Uma bela visão é essa superior, não?!
Vejo muita bobeira sendo dita na internet e uma delas é sobre a cilindrada, o tamanho das motos e posso afirmar com toda a convicção que essa é uma das maiores bobagens que se pode ouvir. Para aqueles que não julgam uma moto pela cilindrada, é um deleite poder apreciar essa bela Cafe Racer.
Essa Yamaha RX é ouro puro e vale quanto pesa!


domingo, 13 de novembro de 2016

Guia Cafe Racer

Uma super iniciativa do grupo Cafe Racer Brasil, capitaneada por Guilhes Damian, e que tem tudo a ver com o grupo, um guia de personalização que ajudará todos os interessados nesse mundo apaixonante. Mas não vou escrever muito, mas sim reproduzir o texto usado na postagem original.
Leiam, compartilhem, nos ajudem e se ajudem, Todos tem a ganhar!
O Cafe Racer Brasil está organizando o primeiro Guia de Customização de motocicletas e precisamos das pessoas mais importantes para nos ajudar: vocês, os potenciais clientes das oficinas que oferecem seu trabalho.
A primeira edição pretende catalogar, avaliar e entrevistar as principais oficinas da cidade e do estado de São Paulo.
O resultado final será um guia detalhado para ajudar você escolher quem poderá fazer o trabalho de customização de sua moto de acordo com seu orçamento, prioridades e necessidade.
OFICINAS
Se você tem uma oficina e quiser participar, por favor preencha o breve formulário. Leva 5 minutos e coleta as principais informações do seu negócio. Agradecemos muito se puder preencher. Posteriormente, entraremos em contato para revisar suas informações e para uma entrevista.
PREENCHA AQUI:
https://goo.gl/forms/lzeOM0h5bvag76OT2
Atenção:
Tenha em mãos o número do seu CNPJ ou MEI e o nome de sua empresa como consta no contrato social. A coleta destes dois dados legais tem a intenção de listar apenas as empresas constituídas formalmente e que operam de forma regular de acordo com a lei.
Se sua oficina ainda não está legalizada, é um bom momento para fazê-lo! Procure o SEBRAE da sua cidade para mais orientações. O processo é fácil e rápido. Se você trabalha sozinho, a opção MEI, Microempreendedor individual é a ideal e você pode constituir seu negócio legalmente de forma muito rápida e sem custos. O portal do MEI tem todas as orientações informações: http://www.portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedo…
CLIENTES
Você tem uma motocicleta customizada por alguma oficina da cidade ou do estado de São Paulo? Se sim, queremos muito saber sua opinião sobre o serviço que lhe foi prestado e sua satisfação como consumidor.
Por favor preencha um pequeno questionário e, assim que possível, entraremos em contato para confirmar suas informações e solicitarmos, se for o caso, fotos de sua moto.
PREENCHA AQUI:
https://goo.gl/forms/1F9KwE8MO8GyGgpq1
SEGURANÇA
Os formulários exigem login no Google para evitar respostas duplicadas e fraudes e, de quaquer maneira, entraremos em contato com todos que preencheram para confirmar e checar as informações. Todos os dados preenchidos serão mantidos em sigilo e não serão repassados à ninguém.
O trabalho realizado é completamente voluntário, iniciativa dos mantenedores do grupo CAFE RACER BRASIL e o resultado final será distribuído de forma digital gratuitamente.
Em caso de dúvidas, basta entrar em contato no email guiacaferacerbrasil@gmail.com

Triumph Thruxton R Test Ride - Canal Motorama


Os parceiraços do canal Motorama, Guigo Pinheiro e Hugo Renault que falam sobre o mundo das motos de forma geral fizeram um ótimo test ride com o novo lançamento da Triumph aqui no Brasil, a Thruxton R, uma legitima cafe racer de fábrica, assunto esse que muito nos interessa.

O vídeo que foi dirigido pelo Zack Snyder (peguem a referência) ficou muito legal e vale a pena ser assistido, pelas informações, pelo belo cenário que é a capital federal e claro pela moto que é de encher os olhos.

Assistam o vídeo abaixo e dêem aquela moral pros rapazes, curtindo e se inscrevendo no canal dos caras. Enjoy!


sábado, 12 de novembro de 2016

Nova Ducati Scrambler Cafe Racer

Ontem falei da apresentação da Scrambler Desert Sled na EICMA 2016, mas essa não foi a única nova Scrambler que a Ducati apresentou, pois a fabricante nos apresentou a badass Scrambler Cafe Racer.
Semi guidão e espelhos retrovisores do modelo são os clássicos que se espera em uma cafe racer

Recebendo o mesmo motor do modelo 2017 da Desert Sled, as mudanças maiores foram na estética e algumas mudanças no perfil da moto, para deixa-la mais esportiva.
A moto ganhou exclusivos (para a linha Scrambler) semi guidões, retrovisores de ponta de guidão, uma pequena carenagem sobre o farol, number plate, ponteiras Termignoni preto de série (nos outros modelos há a versão prateada como opcional), para lamas mais curto, entre outros pequenos detalhes.
Pneus de perfil mais esportivo e rodas douradas
A roda dianteira é de 17", único modelo que recebe este tamanho, sendo que os outros modelos da Scrambler recebem costumeiramente rodas de 18", com exceção da Desert Sled que recebe uma rodona de 19". Também exclusiva é a belíssima cor ouro que essas rodas da cafe racer recebeu. A combinação preto e dourado é um clássico e funciona muito bem nessa moto. Lembro que no final de minha adolescência, pirava com as CB 500 com esse esquema de cores, preto com rodas douradas.
Number plate escondendo parte do quadro e logo acima o banco único dos modelos da linha Scrambler da Ducati
A traseira perdeu o para lamas dos outros modelos, deixando a rabeta flutuante. Algo que gosto muito em projetos cafe racer. O banco é exclusivo no formato clássico cafe racer, além de ganhar uma tampa para o garupa deixando-a monoposto. Mas a mudança mais significativa é justamente na base do banco, no encontro com o chassi da moto. Todos os outros modelos da linha Scrambler possuem um formato "pontudo" na sessão inferior do mesmo. Já o modelo cafe racer ganhou um banco reto que mostra parte do quadro que é reto, coisa que muitos não imaginavam.
Escapes Termignoni pretos combinando com a escuridão geral do modelo
A moto também ganhou novos pneus, os mais esportivos Pirelli Diablo Rosso II, junto com a suspensão totalmente regulável e os freios radiais com ABS, essa Scrambler tem um comportamento dinâmico mais agressivo e seguro, permitindo um pouco mais de ousadia do piloto.
Carenagem acima do farol e para lamas dianteiro novo

Com essas alterações, a moto acabou ficando um meio termo entre o retrô e o moderno, proposta que a Ducati vem acertando a mão com a marca Scrambler.
Com certeza é mais um modelo bem interessante e que serve para agradar a todos os perfis de consumidores.
Fiquem com mais imagens e o comercial dessa "black beauty".







sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Nova Ducati Scrambler Desert Sled

Foi apresentada na Esposizione Internazionale del Ciclo e Motociclo (EICMA) 2016, o Salão de Motos de Milão, na Itália, que começou dia 10/11 e vai até o dia 13/11, o modelo Desert Sled, mais uma moto dentro da "marca" Scrambler.
Ao que parece, essa nova Scrambler fica bem confortável na terra... bem, no caso da foto acima, na areia
"Peraí! Você disse 'marca'? Não seria modelo?" Bem amigos, essa é uma pergunta válida, mas segundo a apresentação da Ducati no evento, a gama de produtos dentro da linha Scrambler tem crescido tanto que eles já a consideram como uma marca.
Branco Miragem com as rodas douradas, combinação interessante
A linha Desert Sled da marca Scrambler da Ducati (peraí que agora bugou...) veio para atender aqueles que achavam que os modelos disponíveis , incluso a Urban Enduro e sua "pose" de off road não eram feitas para a terra, com a impressão que as motos no máximo sujavam os sapatos, mas com aquele nojinho.
Barra transversal com PAD de espuma
Para ser lançada e cumprir com a promessa de ser uma moto on/off de verdade, algumas mudanças precisaram ser feitas. Como a moto ainda não foi parar nas mãos de ninguém, além do piloto do comercial da moto, não sabemos se ela promete o que cumpre, mas não duvidemos.
Os cgzeiros piram nas empinadas
Abaixo, a lista do que foi atualizado e melhorado em relação aos modelos atuais da Scrambler.

Reforço do chassi tubular
Nova balança de alumínio
Novo motor que atende a Euro 4
Novo para lamas dianteiro
Nova grade do farol homologada com um vão em "X"
Banco mais alto que passou dos 790mm para 860mm
Roda dianteira de 19", uma polegada maior que os outros modelos
Novos pneus on/off desenvolvidos especificamente para a moto, modelo Scorpion Rally
Suspensão traseira e dianteira totalmente reguláveis ganharam curso de 200mm ante os 150mm dos outros modelos
O novo modelo vem nas cores Branco Miragem e Vermelho Crepúsculo
 Fiquem com mais fotos e o comercial desse lançamento.






 



Tecnologia do Blogger.