quarta-feira, 10 de julho de 2013

A Injustiçada: CB "350" 1974

Essa CB, é uma das mais bacanas feitas no Brasil, e ao postar a matéria Cafe Racer na Pratica com os melhores trampos feitos com CB´s 400/450 no Brasil, fui questionado nas redes sociais por que deixei a CB do amigo Matheus Felippe de fora. Então chegou a hora de explicar o porquê disso.
A moto é sensacional, e não há dúvidas disso, mas não a incluí na matéria sobre as CB´s por um simples motivo: Ela nasceu como uma CB 350, já no longínquo 1974. Mas ao chegar as mãos do Matheus, a moto sofreu vários upgrades, e o que causa mais confusão é o belo motor de CB 450. E como o foco da série Cafe Racer na prática é ajudar quem tem uma legitima CB 400 ou 450 a montar a sua CR, deixei essa bela máquina de fora da convocação.  Mas já era mais do que a hora de essa máquina fora de série estar alinhada aqui na Garagem. Chega de injustiça...

Já que falamos no motor dessa máquina, vamos começar falando sobre ele: Essa CB ganhou o motor de CB 450, devidamente envenenado: comando bravo, angulo de válvulas mexido, taxa de compressão mais alta,  velas NGK Iridium ,carburadores da CB 500 entre outras coisas que Matheus não revelou. Na foto ainda vemos o belo par de discos de freios herdados de uma CBR 1000 F, moto originalmente bem mais potente e pesada, sendo que dão mais do que conta do trabalho de brecar essa Cafe. Para fechar o pacote, os flexíveis de freio são do tipo aeroquip. Antes de partirmos para a traseira da moto, ainda é preciso dizer que a suspensão é de CBR 450 e o belo tanque é de uma Ducati Mark 3 250cc  do ano de 1968.
Bem, agora ao olhar a bela traseira da moto, vemos que ela usa pedaleiras da Yamaha YZF-R1. Da R1 vieram também o par de amortecedores traseiros (a R1 é monoshock...), presos numa balança feita sobre medida para o projeto, que usa aço carbono de perfil triangular.  A rabeta foi feita sobre medida, da mesma forma que o escape é peça única de inox, e segundo o Matheus:

 "O barulho dela fica lindo afina igual uma 4 cilindros e ainda vou gravar um video" .

Bem, nesse vídeo o Matheus andou "pianinho", mas deu para ouvir o ronco da CB do 15º andar de um prédio:
Ainda ao observarmos a traseira, vemos que essa CB é uma moto esguia e elegante como uma legitima Cafe Racer, tanto que a pintura "candy" é inspirada nas Bonneville Cafe Racers. Mas essa moto, que era uma pacata CB 350 hoje flerta com a agressividade digna de uma StreetFighter. É ainda pode-se perceber a bela solução para a placa e o pneu "160". Ao olharmos mais de perto o cockpit, vemos um painel nacional da marca Contak e a tampa do tanque parece ser de CBR 450, a confirmar... sobre os manetes, não há dúvidas: São de uma Suzuki GSX-R 1000.
Para iluminar o caminho dessa CB, ela tem um farol de CB 500, mas com a cuba de fusca e ainda foi adaptado um farolete. São detalhes que não acabam mais, tanto que fica complicado citar todos aqui na Garagem. Mas já dá pra perceber que esse projeto é de nível internacional, digno do maiores sites sobre Cafe Racers do mundo. Mas apesar da demora, você está conhecendo mais sobre ela primeiro aqui na Garagem Cafe Racer.
E o mais bacana de tudo é que a moto teve todas as alterações licenciadas, sendo que é possível rodar com ela sem medo de alguma repressão por parte das autoridades legais. A única autoridade que implica um pouco com a moto é a "patroa" do Matheus, pois a moto é monoposto. Parada dura mesmo. Mas por essa moto vale a pena passar uma noite ou outra no sofá. Parabéns Matheus! 

10 comentários:

  1. Bela máquina, parabéns!
    Uma pergunta: Onde foi comprado o "comando bravo", existe pra motores 125cc ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho informações onde o Matheus arrumou o comando bravo dele. Mas sim, existem vários comando bravos para 125 cilindradas em geral.

      Excluir
  2. Valeu Douglas, já dei uma pesquisada no mercado livre, e achei alguma coisa.
    Quero deixar minha factor bem forte.

    ResponderExcluir
  3. Comprei uma mini retificadeira ,pois pretendo fazer um trabalho de polimento nas janelas de admissão e escape. Não tenho certeza se vai dar algum ganho de potencia. Vou tentar fazer tudo em casa (a factor é minha cobaia),mas tá muito difícil, já desmontei a coitada e ainda não fiz nada (só coloquei um filtro de ar esportivo)não sei por onde começar.
    Ainda não vi nenhuma cr rodando aqui em floripa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom seria se informar bem com o pessoal que prepara motores.

      Sobre o "polimento", certa vez li que o ideal é polir apenas os dutos de escape, pois ao polir os de admissão, há uma redução do turbilhonamento da mistura, aumentando o consumo.

      Excluir
  4. Douglas, essa CB não foi feita pelo Matheus, certo? Vi ela ser construída... anteriormente ela era amarela. Quem a construiu por completo, foi o Chico Dalvi, um verdadeiro artista que vive em Londrina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, pelo que sei o Chico Dalvi é amigão do Matheus. TO chicão tem uma Hornet lá que faz tempo que quero imagens pra postar aqui...

      Excluir
    2. Olá Douglas, realmende o meu amigo Laner Azevedo acompanhou esse projeto e a algum tempo eu a refiz e vendi para o Matheus , fiquei honrado pelo comentario feito pelo Laner e quanto ao comando de valvulas alto, foivum presente do preparador e piloto César Bonilla que atualmente participa do campeonato brasileiro petrobras de marcas.
      Quanto á café com mecanica hornet farei algumas fotos e te enviarei ok. Meu e-mail é bigdalvi@hotmail.com, Parabéns pelo seu trabalho e dedicação com o estilo café racer, grande abraco ! Chico Dalvi

      Excluir
  5. cara estou pensando em comprar ou uma cb 450 ou uma cb 500 para montar minha cafe racer, qual a opinião de vocês?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.