quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Cafe Racer de fabrica: Conheça as Mash 125

Se no Brasil vivemos uma certa escassez de veículos novos com apelo clássico, na Europa existem diversas opções: As mais conhecidas, são as Triumph Bonneville (Felizmente a disposição aqui no Brasil), a Kawasaki W 800 e a Moto Guzzi V7. Porém em alguns países da Europa, e inclusive em Portugal, estão a disposição as Mash, pequenas Cafe Racer e Brat Bikes, todas com 125 cilindradas como essa da foto a um preço bem convidativo, para o padrão europeu: 2 mil Euros. Então a Garagem mostra estas motocicletas, que cairiam como uma luva no mercado brasileiro.
A Mash Motors, é uma empresa francesa que trabalha com produtos chineses adaptados ao gosto Europeu. Entre diversos produtos que eles trabalham, que vão de belas scooters até pequenas esportivas nervosas, estão estas duas pequenas e simpáticas motos, que com certeza agradariam por aqui: A Mash Seventy 125cc ( A moto laranja da capa) e a Mash Seventy Five 125cc, que está abaixo:
Um olhar mais atento, com certeza lhe trará a impressão de já ter visto algo que nessa moto que não lhe é estranho... e de fato, os mais atentos vão dizer: " - Olha ali o motor da Intruder 125!". Na verdade é o mesmo motor, mas que é produzido pela fabricante Chinesa Qingqi. Ao entrar no site da fabricante chinesa, vemos que lá tem alguns modelos "bem suculentos" aos amantes das Cafe Racer.  Voltando a Mash, vamos dissecar um pouco sobre o modelo básico da linha, a  Mash Seventy:
A pequena Cafe Racer é uma moto que chama a atenção, mesmo que falhe em alguns detalhes de acabamento, é considerada pela revistas especializadas europeias uma boa opção para fazer o vai e vem do dia a dia. As criticas desse modelo vão aos freios, nem tão bons assim e as vibrações, que os proprietários de Suzuki Intruder e Yes 125 conhecem bem e são caraterísticas dessa unidades de força.
Já que falamos no motor, este tem 11 cavalos e leva a moto a uma velocidade máxima de entorno dos 110 km/h indicados no painel. Ou seja, se não empolga, pelo menos essa 125 anda junto com as nossas motos aqui.
Outro ponto destacado pelas publicações é o baixo preço de manutenção das motoquinhas e os acessório, bem bacanas e que de fato, custam uma mixaria: O banco ai de baixo custa 66 Euros e a bolha custa 99 euros. 
Essa simpática moto lá em Portugal custa 1800 Euros. Mas a pechincha mesmo é a Seventy Five:

A estrutura geral é a mesma, mas por € 200 a mais, o comprador leva junto: rodas de 17 polegadas, um freio dianteiro maior, um disco traseiro em vez de tambor, um grande garfo invertido e novos amortecedores traseiros. E olhando um pouco melhor, você vê que o feliz comprador (?) leva ainda os revestimento de borracha para fixar os joelhos nas laterais do tanque e tampas laterais estilo preto.
Os freios a disco poderiam ser perfurados... a contra partida é o estilo mais old school.  Em testes foi relatada a tendência ao travamento. Apesar de ser um produtos chines, o acabamento parece ser bom (Vi alguns relatos sobre os parafusos serem de ferro. Ou seja, sinônimo de ferrugem.) Quanto a isso, os leitores portugueses podem nos relatar sobre isso. Quanto ao conforto, segundo testes, é apenas razoável quanto ao amortecimento.
Alguns detalhes elogiados pela imprensa Européia são a ergonomia dos comando e visibilidade do painel. Quanto ao painel, eu não me agradei.
Como conhecemos bem a Intruder 125, é esperado que o comportamento dinâmico da motoca seja bastante similar, e nesse ponto, me absterei de opinar, pois não andei com a moto. Ou seja, seria o veiculo perfeito para a nossa condição, sendo que facilmente poderíamos ter versões com o excelente motor 250cc da antiga Intruder. Tentador, não?
Infelizmente essas são motocas que não aportaram por aqui, e de certa forma, na Europa são ofuscadas pela boa oferta de motos com o apelo clássico, como as citadas no início da matéria. Porém, aqui, com certeza seriam mais do que bem vindas, se viessem com um bom padrão de qualidade. Mas que na verdade é raro nas "Xing Ling" trazidas para o Brasil. Porém está ai uma bela oportunidade de negócio. Antes de encerrar, tenho que agradecer ao amigo da Garagem, o Sebastião Guerra, pois sem a ajuda dele, essa matéria não sairia. E já adianto, que em breve, teremos mais uma criação do amigo aqui pela garagem. Aguardem. Para terminar, deixo  videos com o testes das Seventy  (Em Francês):

6 comentários:

  1. Esta mota tem um motor suzuki então?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O projeto é o mesmo da Suzuki Intruder, mas é fabricado sob licença.

      Excluir
  2. Mas que bolha linda! Será que não encontra para comprar pra intruder?

    ResponderExcluir
  3. Gostei do visual, até parece uma ""mini boneville"" alias que adoro o estilo, pena que não vem para o 5 quinto mundo aqui no brasil

    ResponderExcluir
  4. *u*" sera que da pra transformar minha trude numa dessas aí !

    ResponderExcluir
  5. Ainda tem o modelo café racer da Mash que é a pérola dessa marca https://www.youtube.com/watch?v=VDiVMATO9co&t=121s

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.