quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Cagiva 125 A Mito

Após começar a escrever os textos da Garagem nesses meses, confesso que por ter vivido praticamente diariamente a função de ver motos Cafe Racer e personalizadas em geral, no meu dia a dia tenho visto muitos projetos bacanas, bem executados, mas em muitos casos, sempre são variações da mesma formula: Motos 4T de grande cilindrada, de preferência mais antigas com alguns upgrades, em especial nas suspensões e alguma eliminação de peso. Essa é uma formula de sucesso, mas como estou "trabalhando" com isso, confesso que são poucas as vezes que realmente me surpreendo. E quando vi essa Cagiva feita pelo amigo Maijel Bueno, posso dizer que o sentimento de surpresa veio, seguido de alguns palavrões exaltando o trabalho.

O motivo disso em primeiro lugar, é que projetos com pequenas motos 2T, são de fato algo mais escasso no mundo da customização. O mais comum é ver RD´s 350 ou então quando muito é usada uma base pequena e simples, como a RD 125/135, por exemplo. O mais próximo dessa moto que passou aqui pela Garagem foi a Armstrong-CCM 250 Speedster, que tem em comum o fato de ser uma 2T e trail...
Trail????
Bem, não é uma trail na verdade. Mas ao contrário do que muitos podem ter pensado, ela não era uma Cagiva Mito e nem uma Planet 125.  Essa moto na verdade nasceu em 1994 sendo uma Cagiva Super City 125, sendo uma supermotard com seus saudáveis 30 cv e itens de série de dar inveja a motos atuais: Refrigeração liquida, suspensão dianteira upside down, balança de alumínio, rodas de  liga, freios Brembo... uma base extremamente interessante e que a maioria por aqui jamais pensou em usar.
Porém o trabalho do Maijel foi extenso.

"o que troque nela foi : Fiz um tanque de gasolina , rabeta traseira, banco ,pedaleiras, farol, guidão ,manetes, fiz o quadro usando somente a parte da frente , pintura de total da moto e motor ... Gastei horas e horas trabalhadas pra polir os alumínios. A parte  elétrica e nova, sendo que procurei esconder o chicote o máximo possível. Coloque a bateria embaixo to tanque onde não da nem pra ver."

O que chama a atenção nessa moto foi o extremo capricho empregado no acabamento. Segundo o criador dessa moto, o objetivo era que essa moto fosse confundida com uma possível versão de série feita pela Cagiva na época. Pelo visto, ele conseguiu.
Essa formula escolhida na criação dessa máquina, parece honrar a tradição Cafe Racer com louvor: Usa o melhor que há disponível em um modelo, tem charme e não deixa de ser agressiva, convidando para um desafio. Por isso que essa formula de usar pequenas 2T como Cafe Racer me agrada tanto.
A venda???
E se você curtiu essa moto, tenho uma boa notícia para dar: Essa moto pode ser sua! Veja mais no link:


Se você curtir, entre em contato e faça a sua proposta pelo e-mail: maijel.2@hotmail.com. E não se esqueça de dizer que viu a moto por aqui na Garagem.

7 comentários:

  1. ahh, se tivesse dinheiro !!! kkkkkkkk.

    ass. kalom

    ResponderExcluir
  2. Coisa fina eim ? Devia ter guardado minha Honda CR 125 pra transformar numa Café.

    ResponderExcluir
  3. Essa moto eu vi sendo feita, o Maijelzinho é caprichoso pra kct no que faz e faz bem feito.Muito lance artesanal de primeira e conhecimento do que faz.

    ResponderExcluir
  4. fez o quadro e o tank? que? isso mesmo?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.