quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Kawasaki 1000 Natrium

Ao recriar uma moto, as vezes penso que o trabalho realizado de certa forma lembra o de um alquimista: tudo começa na tarefa de buscar referências e conhecimento, escolher a estética e os materiais e peças adequados transformando algo comum em uma joia rara. Natrium é o nome dessa moto, que traduzido do latim, nada mais é do que sódio. Da mesma forma que o sódio é um material comum na natureza, mas que na aplicação correta é utilíssimo, essa motocicleta parte de um conceito simples, mas que corretamente manipulada, se tornou algo especial.
Como toda boa preciosidade, que precisa ser garimpada, encontrei essa moto ao navegar pelo fórum português sobre Cafe Racers Colectivo 351. Fiquei impressionado com excelente nível de construção dessa Kawasaki 1000. E o mais bacana disso tudo é que está é a primeira moto construída pelo leitor Ricardo Santos, proprietário da oficina portuguesa Elemental Rides.
Como todo bom alquimista, Ricardo usou duas Kawasaki na criação dessa moto: O Chassi veio de uma Kawasaki GPZ 750 ano 1988, que foi recordado e limpo de qualquer coisa desnecessária. A partir dai a moto ganhou a balança e o motor de uma Kawasaki Z 1000 J1, do ano 1981. O motor foi aberto e completamente retrabalhado. Veja o que foi feito, segundo o criador da moto:

"O motor foi retirado da Z1000 e foi todo remontado com a cilindrada aumentada para 1132cc com um kit big bore da Wiseco. Os carburadores foram igualmente alterados com um kit Dynojet. O escape original 4 em 2 foi trabalhado e recebeu duas panelas finais tipo megaphone. A eletrônica é praticamente toda nova e alimentada por uma bateria LiPO4 da Antigravity."

Ainda segundo o Rick, a suspensão veio da Z 1000, mas os freios usam peças de ambas as motos e foram recondicionados, garantindo a frenagem. segundo ele:

"Todo o trabalho de pormenor e a maior parte das peças foram feitas na minha pequena oficina, ou feitas de raiz ou aproveitando peças existentes das 2 motos. O objectivo principal era conseguir um visual moderno, respeitando ao máximo a tecnologia disponível há 30 anos. Durante o processo a moto emagreceu mais de 40kg (face à z10000) e ganhou cerca de 20 cavalos."

E de fato, o projeto ficou muito bacana: O tanque e banco foram feitos de fibra de vidro, sendo que isso possibilita uma inegável liberdade para se criar formas, além do incrível alivio de peso que a moto teve.
E como você pode ver, esse primeiro trabalho do Ricardo não fica devendo nada as oficinas de customizações mais badaladas no planeta. Dá gosto de ver a mescla perfeitas entre as peças, o detalhes em metal, fibra e couro. Uma mistura de elementos simples que unidos se transformam em algo único e valioso.
O número 11 não é por acaso.  É o número atômico do Natrium (11 elétrons, 11 prótons).
O tanque em fibra foi trabalhado para se adaptar ao chassis e tem uma janela para se observar o nível de gasolina. Banco e rabeta em fibra são um trabalho personalizado.
Bacana saber o que esse é apenas o primeiro trabalho, e que a segunda criação está a caminho:

"Neste momento estou a trabalhar no meu segundo projecto, uma Norton Domiracer de 1961 que conto estar completa antes do final do ano."

Sinceramente fico no aguardo e torço para que o Rick continue forte com suas criações. Pois ao menos visualmente essa moto não deve nada em relação aos principais nomes da customização da atualidade.

5 comentários:

  1. Já falei anteriormente e repito, como eu queria esses pneus no mercado brasileiro..

    ResponderExcluir
  2. Guilherme, também me chamo Guilherme.
    Eu encontrei um site que vende, mas o preço é bem salgado. Dá uma olhada:
    http://www.phoenixstudio.com.br/tags.php?tag=Pneu+moto+antiga+faixa+branca&orderby=menor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que há por aqui. Mas 700 paus num pneu desses, dói na alma...

      Excluir
  3. Opa, show Guilherme, ótima indicação. Realmente salgado mas já é uma opção..

    Uma pena que a importação de pneus não é permitida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade.

      Mas mesmo assim, eles já estão na minha lista de itens que comprarei para um projeto futuro. Dá outra cara na moto!


      Obs.: Ótimo Blog!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.