sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Suzuki Intruder Cafe Racer by Michel Garcia

   
Por vezes a vida nos trás alguns dissabores, para que no fim das contas, acabarmos vivendo algo melhor. E de certa forma foi o que aconteceu com essa bela Intruder, que pertence ao amigo Michel Garcia, que mora em Tangará da Serra, MT.
Por que fiz toda essa introdução?  Por que Intruder do Michel, que foi comprada zero km, logo começou a receber mudanças e mais mudanças ainda, virando uma bela Chopper, como você pode ver nas fotos ai embaixo:
A moto com o passar do tempo, acabou ficando muito linda. mas você se lembra do que falei sobre certos dissabores? Nesse caso, não foi possível regularizar as modificações, o que fez o Michel desistir da configuração Chopper.
Muitos nesse caso perderiam o tesão na moto, e mesmo que "voltando" a configuração original, a moto já não seria a mesma. Mas o bacana é que com o passar do tempo o nosso amigo descobriu as Cafe Racers e decidi-o seguir essa escola de customização, com bons resultados. Nas palavras do dono da moto:

"Por problemas com a documentação, não foi possível rodar com ela chopper, então voltamos ela  para original novamente. Então como não consegui deixá-la original, resolvi olhar mais carinhosamente para o estilo CR.
Analisando os mais diversos modelos e detalhes, simplesmente me apaixonei pelo estilo, e percebi que, apesar do seu quadro em V, a Intruder daria um bom projeto de CR. Resolvido então, vamos  tomar um Café." 

Uma das principais modificações feita nessa moto, e que ficou da época da "roupa chopper" foi o aumento de cilindrada das 125 para as 250. Como pode interessar aos leitores que pensam em fazer o mesmo, transcrevo a descrição do trabalho feito na moto pelo dono:

"A receita é fácil, observando e fazendo várias pesquisas, notei a grande semelhança do motor da Intruder 125 com o da STX/Motard 200cc.. então foram usadas as seguintes peças deste modelo:  
  • Virabrequim, biela, cilindro, cabeçote completo e comando de válvulas;
  • No cilindro foi encamisado um pistão de Fazer 250 e foi retrabalhado o interior do cilindro para ajustar a taxa de compressão;
  • Serviços de torno foram feitos também para encaixar o virabrequim dentro do bloco (as bolachas dele são maiores), também para entrar o cilindro maior no bocal do bloco e ajustar a rosca dele. Foi preciso trocar o motor de partida pelo da Yamaha 225cc
  • Pela facilidade na adaptação e a carburação, na qual usamos o carburador da RD 135cc, apesar da diferença na cilindrada., esse carburador é excelente na alimentação por ser 2T."
Como você pode ver também nessa foto acima, as pedaleiras do piloto, sistema de trocador de marchas e pedal de freio foram alterados. Além das modificações de motor, a moto teve uma extensa lista de peças trocadas, oriundas da Suzuki Katana 125: Balança e varão de freio, frente completa (canelas, bengalas e mesas). Já o freio dianteiro veio de uma Yes.
O painel também  sofreu leves mudanças, onde o suporte foi rebaixado em 1 cm e o indicador de marchas, foi suprimido. O guidão é clubman, os retrovisores foram rebaixados. O farol foi inspirado nos modelos races antigos, amarelo e com fitas pretas num formato de X. A moto também ganhou um punho rápido.
Indo para o "miolo" da moto, se destaca o trabalho feito no tanque: O calço na parte dianteira foi rebaixado em 1 cm, e na traseira, a moto ganhou um calço de 5 cm, deixando-o com o visual mais reto, adequado a proposta.
O banco teve a espuma retrabalhada, mas usou a base original da Intruder.
Já na traseira, os amortecedores ganharam um calço de 3 cm, o para-lamas foi encurtado (o dianteiro também foi) e a sinaleira é a de Jeep, solução tradicional já.

E para encerrar, os pneus: foram colocados modelos mais largos: 100/90-18 na dianteira e 120/90-16 na traseira. E nas palavras do Michel, sobre o resultado do trabalho:

"Estou 100% satisfeito, estilo e conforto predominam na moto, pequena, mas muito forte com a motorização 250 cc, leve e ágil no trânsito. Média de consumo de 25 km/l da cidade e 31 km/l na estrada. Simplesmente me apaixonei pelo estilo Cafe Racer, se um dia chegar a vender esta moto, com certeza será para montar em uma maior e cafeinar ela também."

De fato, todo o trabalho valeu a pena Michel. Parabéns pela motoca!
OBS: Os leitores mais atentos devem ter reparado que geralmente nas Sextas, temos matérias com motos de fora, mas como não consegui postar essa matéria a tempo, a Sexta Insana volta semana que vem.

23 comentários:

  1. Parabéns, show de bola a Intruder...inspiração certa para a minha...valeu!!
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, ficou um trabalho primoroso. De muitíssimo bom gosto. Eu só faria uma observação, quanto ao guidão, que na realidade não é um clubman, e sim um daqueles que costumamos chamar "morceguinhos". Há algumas diferenças, mas independente disso, acho que eu não mudaria nada nessa moto, nem mesmo o guidão por um autêntico clubman, pois tudo ficou em perfeita harmonia. Parabéns ao Michel, realizou um trabalho de altíssima qualidade.

    Assim que a minha ficar razoavelmente pronta, vou entrar em contato para ver se ela merece uma página também.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, é um morceguinho nosso, sem a angulação que o clubman original tem.

      Excluir
  3. ola pessoal esto a procura de uma mesa de direção angulado pra compra

    ResponderExcluir
  4. Putz.... só agora é que eu saquei essa do tanque ter mudado de ângulo... Esse "chapeleiro bruto" é fera mesmo !

    ResponderExcluir
  5. Ola, realmente ficou muito bonita, parabéns pela persistência, o estilo CF é uma bela opção de personalização, quanto ao guidão, vou lançar uma polemica, para mim, esse modelo é o Tomazelli, quem é mais antigo lembra. Abraço a todos. Michel continue a fazer outras !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, a diferença é que o Tomazelli vem preso direto as bengalas, ou seja é um semi-guidão. O clubman verdadeiro parece com o nosso morceguinho, mas esse tem uma leve curvatura, melhorando a pegada. Já o nosso morceguinho é praticamente reto

      Excluir
  6. Douglas, para minha sorte, um grande amigo montou uma CR com um clubman, porém não gostou do resultado e repassou para mim. Minha CB, que ainda está longe de ser uma Cafe Racer, está com esse guidão clubman. Caso alguém tenha interesse em ver, eu fiz algumas postagens em um blog que tentei manter, www.tonupsp.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, isso aí é um clubman? Desconhecia. Agora, de fato tanto o morceguinho quanto o clubman são muito diferente do Tomazelli que o amigo falou lá em cima.

      Excluir
  7. Muito bacana o blog. Pena que não tocou adiante. E o clubman ficou bom mesmo na CB.

    ResponderExcluir
  8. Uma curiosidade que tenho é: por que diabos os caras das antigas inventaram de colar fitas preta cruzada no farol? Parei para pensar nisso e simplesmente não encontrei nenhuma lógica nisso.
    .
    Se o motivo for estético, apenas diria que não é bem do meu gosto. Mas se tem outra explicação e alguém aí souber, é sempre bem vindo a explicar rsrsrss
    .
    (As palas de farol - ou pestana - eu achava que era motivo estético. Aí, outro dia me apareceu um fusquinha antigo aqui no trampo e ele tinha pala no farol. Do nada me veio assim na mente que o motivo daquilo seria para direcionar o foco, evitar que o farol alto ofusque quem está vindo na sua direção. Depois disso até cogito colocar a pala no farol da minha pequena racer que "está no forno")

    ResponderExcluir
  9. Caro Rodrigo, nos anos 50 e 60 não se usava plastico nos faróis, eles eram de vidro, e no mundo das corridas de moto (Cafe RACER) em caso de queda da moto, o primeiro a cair no chão e quebrar é o farol, em seguida o piloto se ralando nos cacos kkk, o carros, principalmente de rally, também passaram a usar para evitar furar os pneus após um pequeno toque no carro da frete e consequentemente os cacos na pista, depois trocaram a fita por grades/telas...

    ResponderExcluir
  10. putz, valeu vicente, agora sabemos o porque disto.

    ja posso esplicar e dar um motivo para colocar as fitas!!! kkkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
  11. Boa. Essa eu não sabia e nunca saberia se não perguntasse num lugar tão específico com um blog de cafe racer hahaha
    .
    Como disse, era uma curiosidade apenas. Mesmo tendo alguma aplicação prática, continuo achando esteticamente de gosto duvidoso. Minha opinião, claro. Gosto é daquele jeito, cada um tem o seu...
    .
    Valeu pela explicação, brother.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela CR Intruder, como um colega de cima falou, essa é uma ótima inspiração para montar uma CR.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  13. Pessoal, será que apenas rebaixando a mesa original teremos um resultado muito diferente desses? Não sei o custo e a facilidade de se encontrar essa suspa dianteira da Suzuki, geralmente vejo reclamações diversas da J Toledo com relação a preços de peças das Suzukis. Gostei muito das soluções utilizadas. Como não se trata de uma Honda, é uma moto que encontramos no mescado de usadas com bons preços. Abs

    ResponderExcluir
  14. ja vi essa motinha andando nas ruas de tga eu achei muito fera... nem fazia ideia que era uma intruder fikou fera parabens pro dono....

    ResponderExcluir
  15. Por favor entra em contato com meu email: erlaildon@hotmail.com, quero comprar um banco desse da suzuki azul 10 na cor preta urgente. Obr

    ResponderExcluir
  16. Por favor entra em contato com meu email: erlaildon@hotmail.com, quero comprar um banco desse da suzuki azul 10 na cor preta urgente. Obr

    ResponderExcluir
  17. Ficou muito bonita sua moto... Gostaria de saber quais os cubos de roda você usou para fazer ela no estilo chopper? cassioalexandref@gmail.com

    ResponderExcluir
  18. Ficou muito bonita sua moto... Gostaria de saber quais os cubos de roda você usou para fazer ela no estilo chopper? cassioalexandref@gmail.com

    ResponderExcluir
  19. ola boa tarde
    tenho uma intruder 125 gostari de deixareu bancoigual a esse
    alguem tem o molde?
    ou pode explicar como ele fez?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.