sexta-feira, 11 de abril de 2014

Sexta Insana: Petardo by El Solitario

Você pode até estranhar uma moto como essa sendo objeto de matéria aqui no blog. na verdade, apostaria que a maioria dos leitores, e talvez você mesmo deve estar achando essa moto feia demais. Mas na verdade, essa é uma das motos mais insanas já feitas, e aposto que ao você terminar de ler essa matéria, sairá mexido por ela.

A grande ideia por trás dessa moto, segundo David Borras, da El Solitario é uma "afronta" a tendência minimalista que rege o mundo das customizações atualmente. Segundo ele, ai ideia foi a de mostrar "todos os órgãos, veias e artérias que compõem o corpo."  Ainda segundo ele, é uma moto excessiva, tanto nas formas como no ronco grave proporcionado pelo motor Ducati 900. Mas na verdade acho que essa moto vai mais além. Basta ver os detalhes para compreender isso.
Ela reúne detalhes que remetem a cultura do estilo Ciberpunk (Deckard, protagonista de Blade Runner poderia estar montado nela) ou mesmo é possível imagina-lá sendo uma maquina sobrevivente a um futuro pós-apocalíptico (Max Rockatansky, protagonista de Mad Max poderia trocar seu Ford Falcon nessa moto) e encarar batalhas pelos desertos...
Ou então não é difícil imaginar essa moto praticamente como uma arma, pois o painel sobre o tanque lembra um antigo caça de combate, e os  faróis fazem referência a uma viatura militar, que localiza e destrói. O próprio nome "Petardo" não é a toa... 
Mas o que quero dizer com tudo isso é que essa moto exala uma masculinidade (ouça o ronco brutal do V2) e agressividade que não via há tempos. Como já foi falado, ela é uma afronta ao minimalismo. Eu mesmo gosto de motos minimalistas, mas tudo que se torna regra acaba ficando chato demais. Além de tudo, essa moto não pode ser enquadrada. de Cafe Racer, nem de Tracker ou qualquer outra categoria que usualmente atribuímos. Ela é mais do que isso, saca?
Para finalizar, você pode conferir mais sobre no site da El Solitario e no Bike Exif. Mas aposto que você está gostando muito mais dela agora...

5 comentários:

  1. realmente insano, mas o tanque ficou ali mesmo no lugar tradicional ?

    ResponderExcluir
  2. Sinto muito Douglas, mas não concordo com seu texto, essa moto é HORROROSA, nos anos 60 os Beatles, no auge da fama pintaram um Rolls Royce com cores pscodelicas (por causa do disco Sgt. Peppers) a fabrica moveu um processo contra eles e retomou o carro, pois na minha opnião a Ducatti (um dos desings mais lindos de motocicletas) deveria fazer o mesmo com essa aberração... Um abraço do Speedy.

    ResponderExcluir
  3. elo texto. Bem escrito e tal...
    .
    Mas, assim como fizeram com arte, outrora sinônimo de beleza, de destreza do artista, tem quem faça o mesmo com outras áreas. A arte era sinônimo de beleza. Na arte tentava-se atingir o Belo (a escrita em maiúsculo não é a toa).
    .
    Então, artistas menos habilidosos desvirtuaram a função da arte. Artistas mais fracos, impossibilitados, incapazes de fazer obras de beleza rara, desvirtuaram a arte... Diziam eles: a arte tem que ser algo para se pensar. O sujeito tem que olhar e raciocinar, interpretar, achar o significado dela. A beleza não importa. Aí surgiu a arte moderna em pinturas q se resume a rabiscos, esculturas que não passam de conexões desconexas, formas disformes, retorcidas, etc e tal. E há quem veja arte nisso. Respeito. Respeito tanto quanto lamento, ou até mais...
    .
    Para mim, essa moto é uma "obra-de-arte-moderna". E nisso o texto caseou como não poderia deixar de ser. Vê se que o escritor faz algum exercício de interpretação da "obra de arte moderna" da qual trata a matéria.
    .
    Para mim, que sou velhaco, arte é algo para ser visto e admirado, seguido, contemplado... a boa e velha arte de outrora.

    ResponderExcluir
  4. Cara, antes mesmo de ler o texto eu a curti a moto..eu gosto muito de veiculos pos apocalipticos... e fios, bateria, dutos, etc. aparentes...gostei bastante dessa dai...daria pra tocar um terror legal!! valeu!!!

    Biagioni
    biagionikk.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. gostei muito dessa moto, ela é o avesso das motos conceito de hj em dia que escondem os conduítes de freio, embreagem, até painel eles não colocam pra ter o visual mais limpo. Ela mostra que fios à mostra e coisas "improvisadas" ficam bonitas tb

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.