quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Apresentação: XJR 1300 Racer e SR 400

Como falei na semana passada, os fabricantes em geral estão muito antenados no movimento Cafe Racer e de customização em geral. E um dos fabricantes, que ao menos em nível de Europa, e aposta forte nesse  é a Yamaha, que já produziu algumas motos em parcerias com customizadores, como por exemplo a XJR 1300 Eau Rouge, agora transforma o seu modelo 1300 em uma máquina especifica para customização.
XJR Racer ao lado da Eau Rouge
Se percebe agora a estratégia de marketing da Yamaha: Criou um sonho de consumo, que era a Eau Rouge e agora oferece um produto pronto para ser modificado, que atende quem não quer ir muito longe na customização ou mesmo se contenta com uma moto "racer de fábrica". Assista os vídeos e você vai reparar na mensagem final.

A mensagem é clara: Nasceu customizada
A XJR 1300  agora é um "novo" produto: Se a 20 anos, nasceu para brigar com motos como Bandit 1200, CB 1100 e as demais Super Nakeds dos anos 90. Hoje como o estilo Naked clássico, apesar de ser super bacana, já não chamava mais tanto a atenção do consumidor. Agora eles apostam em modelos fortemente customizáveis, para conseguir vender uma moto super bacana, mas com projeto velho e que já se pagou a muito.
Veja acima a versão standart: Chassi propositalmente curtinho; o banco quase monoposto; a lateral no estilo "number plate", tanque pequeno, farol com a fixação direto nas bengalas, que permite deslocar para baixo sem maiores problemas...
Como o acabamento das peças é muito bom, qualquer idiota consegue fazer um projeto legal usando muito da estrutura original da moto, e as peças que vem nela. A versão Racer já vem praticamente "pronta": Acrescenta bolha e capa para o banco em fibra de carbono, escape Akrapovic, semi-guidões , e  vários pequenos itens da griffe Rizoma.
A moto custa lá fora €10,395 na versão standart e €11,590 na versão XJR1300 Racer. Infelizmente, não há previsões de termos essa moto aqui.

Bonus: SR 400
A SR 400 é uma moto extremamente básica e de projeto antigo. Por isso é mantida, pois praticamente mantém a simplicidade das motos do passado, sendo perfeita para se passar a serra sem dó. No próprio site da Yamaha Europa é destacada a facilidade que a moto tem para ser customizada como Cafe Racer, Bobber ou Scrambler. Apesar de a moto ter injeção eletrônica, a partida é a pedal, permitindo que se use baterias minusculas... pensada para ser depenada, com certeza. 
Veja que toda a propaganda da moto ressalta também a proposta de customização, ao menos lá fora. Essa moto bem que poderia estar no nosso mercado, com a inclusão da partida elétrica, cuja a ausência poderia causar rejeição nos e dos que tem preguiça de ligar no pé. Se essa moto viesse a preço justo, com certeza vingaria aqui e seria a melhor opção para projetos Cafe Racer aqui no Brasil, como também agradaria os "tiozinhos do deixa a moto original"...

2 comentários:

  1. realmente sera uma maravilhosa alegria para nós, a foda seria os amigos do alheio atras de vc !!!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.