quarta-feira, 26 de novembro de 2014

CB 450 by Guilherme Marchetti

Aqui no Garagem, projetos usando CB 400/450 não são nenhuma novidade, pois as CB são uma das melhores bases para se criar uma moto customizada, tanto sendo Cafe Racer, Bratstyle, Scrambler entre outros estilos. Mas essa CB 450 DX 1991 feita pelo Guilherme Marchetti, de São Paulo é um dos melhores projetos de 2014.
Uma das dúvidas do pai dessa CB antes do projeto estava entre comprar uma 883 iron  ou criar sua própria moto...
O bom resultado não é a toa: Guilherme é formado em design e já tem alguma experiência adquirida com a restauração de uma XL 250 do seu pai, que hoje roda com placa preta. A partir daí, surgiu a ideia de transformar a customização em atividade, sendo que essa CB pode ser sua.
Sobre o processo de criação, vou deixar que o próprio Guilherme fale:

"Depois de muita pesquisa sobre qual moto comprar, peças e etc, optei por uma CB 450 DX 91, com apenas 56.000km (melhor custo benefício). Fui buscar a moto em São José. Tinha alguns detalhes estéticos, mas mecanicamente, estava ótima. E era isso o que importava pra mim, já que a unica parte original da moto que eu manteria, seria a mecânica. No dia que trouxe a moto para São Paulo, 26/06/2014, já comecei a comprar as peças. A maioria delas pelo e-bay, e por incrível que pareça, a maioria delas não foi taxada. Peças como, guidão, lanterna, piscas, painel, termotape, filtro de ar, abafador, pedaleiras, chegaram em cerca de um mês."

" Até a chegada delas, foi a fase de desmontagem da moto e uma melhor avaliação do estado geral dela. Fiz a manutenção necessária (troca de óleo e filtro, revisão nas bengalas, reparo das pinças e dos carburadores, velas de iridium), e a compra de peças aqui, como punhos, amortecedores (que depois de muito pesquisar, optei pelos da Suzuki Gsr 150, considerando o alívio de peso na CB, e o fato dela não andar com garupa. E o resultado foi fantástico! Me surpreendeu, a moto está muito "na mão" nas curvas!"
"A parte mais trabalhosa, depois da funilaria do tanque e quadro, foi fazer a rabeta. Depois de fazer o molde do tubo que seria soldado no quadro, fiz os moldes das chapas, soldei e o quadro estava pronto. O molde da rabeta, fiz com a espuma floral. Revesti, e fiz a fibra, que aprendi a usar na faculdade, e não achava que faria isso novamente tão cedo. O acabamento da mesma para pintura é muito trabalhoso, lixar, lixar e lixar mais.
Se vê de cara que outro ponto alto foi o acabamento: repare no cuidado com a fiação elétrica, com os materiais empregados. 
Mas segundo o criador, a proposta era fazer cafe racer pura, como manda a velha escola:   

" Eu quis seguir a risca a linha de uma café racer clássica. Alívio de peso, então removi tudo que não era necessário e recuei as pedaleiras.  A posição de pilotagem foi muito pensada, levando em conta a posição das pedaleiras, altura do banco e posicionamento do guidão. E o resultado foi incrível. Uma moto confortável. Digo por experiência própria, já que já viajei mais de 400km com ela, sem reclamar. Fiz alguns upgrades também. Principalmente nos freios, que originalmente não são muito bons. Pastilhas novas, aerokips sob medida, fluído de freio novo, e discos perfurados, a melhora foi bem significativa, superou as espectativas. No motor, só uso podium. Velas de iridium, escape novo com termotape de cerâmica, e filtros K&N completam o conjunto. Os pneus são Pirelli Sport Demon na maior medida possível para a moto. Gostaria muito de rodas raiadas, mas pela complicação para a 450, e os freios a disco, acabei optando por não fazer. Vai ficar para o próximo projeto.
No geral esse projeto lembra um pouco o projeto feito ano passado pelo Marco Silva, e que segundo o Guilherme Marchetti, foi usado como referência, mas buscando manter sua própria personalidade. Ou seja, um caminho correto, buscando referências aqui ou ali, mas dando o seu toque pessoal. para encerrar o papo, confira o vídeo que o pessoal fez com essa e  outras belas máquinas.

8 comentários:

  1. bem, a moto é bonita sim. mas não vale 22.500,00, customização não e conta como investimento. a não ser que ela fosse feita totalmente a gosto do comprador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil precificar um negócio assim. Eu não diria que não vale 22.5 eu diria que EU não pagaria 22.5.
      .

      Excluir
  2. realmente se fosse para mim, o valor seria insignificante.

    mas para revender acho um projeto que leva a ideia para o lado não pessoal( visando apenas lucro ) das cafe racer.

    kalom

    ResponderExcluir
  3. Alguém sabe me dizer as medidas desses pneus Pirelli?

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Faço minhas as palavras do Fabricio Gonzales. Ninguém divulga informações técnicas detalhadas sobre adaptação de pneus e rodas para as CBs.

    ResponderExcluir
  6. Deveria ter uma área no site sobre essas informações técnicas com fotos de como ficou

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei!! E o preço ta justo pelo que foi feito e as peças , tudo tá muito caro no mundo das CB's

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.