quarta-feira, 4 de março de 2015

Filosofo de Cafe: Cafe Racer é modismo ou veio para ficar? (1)

Um dos questionamentos um pouco difíceis de responder e dos que causam mais polêmica no movimento é o do suposto modismo no qual estamos vivendo e até quando este suposto modismo irá.
Basta criar contas em sites com o Tumblr ou Pirintest, e em poucos cliques se vê vários projetos de cafe racers, em geral aliados com o pessoal que segue o estilo Hipster. A fabricante de ferramentas Snap-On fez uma parodia desses videos com temática Hipster.
Argumentos pró e contra o modismo pipocam: Os contrários a popularização afirmam que muita gente que não tem o motociclismo no sangue, pode vir a ter esse tipo de moto, banalizando o movimento devido aos posers. Já por outro lado, com mais projetos e mais gente conhecendo, acaba se facilitando o acesso a oficinas, peças e motos no geral e claro, conhecendo mais gente aficionada pelo assunto.
Choppers New School, no melhor estilo OCC: exemplo típico de moda que passou.
De fato, no meio da customização vivemos uma relativa "modinha", que tende a crescer por um bom tempo. O lado bom é que ninguém falava de Cafe Racer a poucos anos e hoje pipocam projetos nessa temática. Porém eu acredito que dificilmente esse estilo vá virar main stream aqui no Brasil. Porém, com o crescimento, aconteceu uma certa banalização: um exemplo disso é um monte de gente que monta a sua amada Cafe Racer, e em pouquíssimo tempo, a coloca a venda, pois encheu o saco do brinquedo. Obviamente tem gente que por motivos pessoais justos precisa vender a moto, mas a verdade é que muitos passam pelo estilo, mas são poucos que fato vão ficar de fato.  O assunto não se esgota aqui, e nas próximas semanas, tenho mais lenha a jogar nessa fogueira. Para encerrar por hoje, agradeço aos amigos Reginaldo Tenório e Renato Frateschi pela dica de assunto aqui no Filosofo de Cafe.

8 comentários:

  1. Quem gosta só por "uma temporada" não é pior que o outro que ama o estilo desde mil novecentos e época dos dinossauros, mas a "modinha" tem seus prós e contras.
    Conhecemos pessoas que curtem o mesmo estilo, a mão de obra especializada aparece e aumenta, etc. Em contra-partida, há muita besteira sendo escrita e dita, e há também uma grande especulação nos preços de peças e serviços. Se fazer um banco com um cara que "manja" e faz muito bem feito custa R$ 200,00 (valor hipotético), com o cara que agora faz "Cafe Racers" o mesmo banco de igual qualidade vai custar R$ 700,00.

    ResponderExcluir
  2. Acho que o estilo café racer vem muito da necessidade e vontade de possuir uma moto que só tenha o essencial, que em caso de queda ou colisão quebre poucas peças, que na hora da manutenção seja barata, e, mais recentemente, que seja pouco visada para roubo.

    Talvez o fato de que as motos estejam cada vez mais caras, gasolina alta, alto indice de sinistros com moto dentre outros fatores tenha levado muitas pessoas para o estilo, porque afinal apesar de simples as cafés são bem estilosas.

    Douglas, deixo uma sugestão/missão para você encontrar mais alguns projetos feitos com a Yamaha Fazer(possuo uma)/CB 300/ Twister . Vi a Fazer vermelha que você postou a um tempo atrás e estava de muito bom gosto.

    ResponderExcluir
  3. O que caracteriza uma "moda" ou "modismo"?
    .
    Moda ou modismo é quando um grande número de pessoas seguem determinada tendência, determinado tipo ou estilo e tem duração limitada no tempo. Se algo surge como moda e se perpetua, então não faz sentido mais falar em moda ou modismo. Acaba tornando-se uma tradição - mais ou menos o que aconteceu com as choppers nos USA.
    .
    Sendo assim, podemos dizer o seguinte: o "boom" recente do estilo CR é um modismo e, sinceramente, eu duvido que isso se perpetue por aqui ao ponto de se tornar algo tradicional. Mesmo porque brasileiro é um tanto avesso à tradição.

    ResponderExcluir
  4. Não existe contexto, no Brasil, que permita que os entusiastas daqui sejam fiéis à cultura. Quem faz aqui, faz porque gosta da aparência invocada que dá na moto.

    O que dá desgosto é ver tanta gente simplesmente copiando projeto, ao invés de montar seu próprio. Isso é o ruim da moda, e tira todo o significado da customização.

    Enfim, ficar julgando quem "traiu o movimento" é babaquice que só deveria ser atribuída ao Dado Dolabella.

    ResponderExcluir
  5. Isso me faz lembrar alguns anos atras quando entre os jovens a moda era ser rockeiro nas escolas só se via camisa de bandas por todos os lados, passando os anos a moda foi mudando e hoje se eu não me engano a moda é ser funkeiro, pois ja faz alguns anos que me formei, mas o que eu penso a respeito é que muitos estão simplesmente por moda mesmo mas quem realmente curti e adotou o estilo para sua vida jamais ira abandonar simplesmente por que o ama independentemente de estar na moda ou não.
    Johnny

    ResponderExcluir
  6. No meu caso, meu pai faleceu e me deixou de herança uma CB 400 1980, queria deixar a moto zera novamente, mas não me agradava a aparência original da moto, sendo assim, comecei a pesquisar sobre customizações que me interessariam para modificá-la, e achei vários projetos, de onde fui tirando idéias para modificar a moto, hoje acredito que ela ficará com aspectos de brat style com street tracker, mas ficará do meu gosto, e a moto já esta a 20 anos na família, ficará comigo mais uns tantos e com certeza passarei para minha filha.Não sou um cafe racer, mas queria uma moto diferente, bonita, onde eu pudesse mexer nela, mesmo não sabendo nada de mecânica, acho que isso que atrai os projetos que estão no Brasil, você poder criar e modificar sua própria motocicleta e depois poder dizer as peças que foram feitas por você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa parte da coisa que me desagrada.
      .
      Veja, você está falando em mexer na moto e fazer as peças e montar você mesmo. Assim é que as coisas deveriam ser.
      .
      Mas o que a maioria faz? Compra itens de grife e leva a moto pra um "profissional" montar.
      .
      Por isso não me estranha o sujeito que encomenda uma cafe racer (Essa é a palavra ENCOMENDAR) em pouco tempo a anuncia em algum site de venda... em pouco tempo já se cansou dela....
      .
      Já o sujeito que leva meses, anos, construindo sua própria moto tem mais ligação emocional, digamos, com a moto. A arte resultante (independente de gosto pessoal) é fruto do seu esforço e habilidade. É sua própria criação. Enfim, a minha argumentação crítica sobre isso vai longe.....

      Excluir

Tecnologia do Blogger.