quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Filosofo de Cafe: Qual moto escolher para um projeto? Parte 1

Antes de mais nada: Essa postagem não vai trazer respostas, mas sim lançar um questionamento, sendo que a resposta cabe a cada um que pensa em customizar uma moto. Nas próximas semanas também lançarei alguns questionamentos que vão ao contrário do que vou postar hoje. Ou seja, eu quero é confundir.
O fato é que tenho visto uma escalada no nível de certos projetos, sendo que a cena brasileira de customização e em especifico as Cafe Racers sofreu um grande boom no últimos 2 anos. Se antes os projetos eram mais básicos, hoje percebo grandes projetos usando motos simples, mas com extensas modificações. O exemplo mais claro disso é ver o que se anda criando usando como base a CB 400/450, que eu sempre defendi aqui. O fato é que o Brasil e o mundo descobriram essa base para customização.
Por exemplo, esse projeto da JeriKan é o padrão do que anda sendo feito (fora o guidão alto), em linhas gerais.
Hoje em dia passar a serra numa CB e fazer um subframe não é mais novidade e cada vez mais gente faz. Mas o fato é que se muitos fazem por conta própria própria, o que demanda bastante tempo para realizar o trampo, muita gente tem mandado fazer em oficina, e dependendo do nível dos demais Gadgets  e acessórios inclusos na moto, o investimento em uma CB pode parar lá nas alturas: Já vi projetos que passaram fácil dos 20 mil reais, fora o preço original da CB 400. 
Aí que vem o questionamento: Com 20 mil reais, você compra uma CB 400/500 Four e sobra uma boa grana para uma personalização leve ( chassi  é retinho, mal precisando mexer) com essas motos da fotos. 
Não foi feito quase nada dela... e mesmo assim, a moto é um espetáculo!
Claro que precisamos considerar que a maioria das CB Fours são verdadeiras Amantes Argentinas: Tiram até o último centavo do bolso do dono, devido as gambiarras sofridas por esses motores há pelo menos 40 anos e falta de mão de obra competente para lidar com esse tipo de mecânica. Ai quem defende as CBs 400 nacionais mexidas vai dizer que deixar uma CB redonda é caro, mas que ainda tem gente boa que consegue.
Mas se for ainda assim investir mais de 20 mil num CB, basta lembrar que com um pouco mais de grana se compra Triumph Bonneville usadas em bom estado, sendo que é uma base bem melhor que a CB, sem sombra de dúvida. Mas ai, tem o outro lado: se for para fazer algo realmente único, se perderão mais algumas dezenas de milhares de reais. 

Ou seja, dúvidas e mais dúvidas. E cada um vai ter que pensar nas condições de uso da mesma.

O fato é que apresentei aqui 3 caminhos e no fundo, cada situação especifica pode definir o que vale a pena o não: Por exemplo, alguém que consegue fazer a CB 400 sem gastar rios de dinheiro, acho que ela é uma ótima opção. Porém, se o uso for de baixa km mensal, uma CB Four é uma pedida interessante. Mas quem for rodar muito e sem dó, uma moto mais nova como uma Bonnie é o ideal. Ou seja, cada caso é um caso, e só você vai poder responder o que é melhor para você. Mas a minha intenção com esse papo todo é que você reflita sobre isso.

5 comentários:

  1. Olá, primeiro comentário meu aqui no site, tenho uma CB 400 customizada, em uma linha que fica entre Scrambler e Brat. Sinceramente gosto bastante da CB400 como base, moto leve, mecânica e elétrica simples e um moto razoavelmente forte. Concordo um pouco com a conclusão do texto, customizar uma CB400, ao meu ver, é para aquele que vai rodar pouco, não tenho muita confiança de rodar tranquilo uns 500km em uma saída de casa. Por exemplo, meu motor tem 33 anos, por mais que ele esteja redondo, sempre baixa um pouco de óleo [nesse momento vários mecânicos podem brigar comigo e falar que motor redondo não baixa óleo, mas sou da teoria que em uma senhora de 33 anos, sendo vários desses anos nas mãos de várias pessoas, isso é aceitável] então demanda um cuidado.

    Ao meu ver, se você quer uma moto que você não tem que verificar óleo e só fazer uma revisão de 3 em 3mil km, a base tem que ser uma moto mais nova. Uma antiguinha igual a minha, você tem que estar ciente dos cuidados que ela demanda. E pra aqueles que não tem muita afinidade com mecânica, ou que até mesmo não curtem muito a mecânica e curte mais o estilo e o "rolê", também acho que vale a pena uma Bonnie ou ate outras bases, porém mais novas. A minha vira e mexe da uma parada no meu mecânico, eu não sou mecânico, entendo o básico da coisa, então vira e mexe tenho que levar em alguém que realmente vive disso, mas tudo bem, eu já sabia disso quando resolvi ter essa moto.

    E só para não ficar um texto gigante aqui, a questão do valor é um ponto a parte. Ao meu ver, 20 mil + o valor da CB400 [que uma moto com uma boa mecânica, está girando em torno dos 6 ou 7mil] são 26 mil, na melhor das hipóteses. Mas grana no caso de motos customizadas está relacionado com um amor, um hobby e um sonho, e se a gente começa a ficar computando esse valor e pensar na moto como investimento, alguma coisa está errada. Então valor é muito relativo. No meu caso eu fui atrás de viabilizar um sonho, dentro da minha possibilidade financeira [que está beeeeem abaixo dos 20 mil...rs] então a CB400 foi um ótima base, para realizar um sonho, mas confesso que o sonho ainda são maiores, falta a grana, mas aos poucos vamos indo. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Aqui na Grande Vitória, atravessando a 3ª Ponte dia desses passei por uma CG e posso falar com toda sinceridade... QUE MOTO!!!

    ResponderExcluir
  3. ah, sim ontem vi uma intruder 125 ou 250 em são paulo onde por um minutos me vi em londres no anos de ouro das cafes, tanto na beleza da moto como no estilo do motorciclista.

    kalom.

    ResponderExcluir
  4. e ai meu primeiro comentario no blog, na real sigo da opnião se tem dinheiro sobrando pq não, tenho uma intruder 125 faço tudo em casa e gastando o minimo possivel, mas se tudo der certo vou pular para uma cb 400 e seguir na mesma linha fazendo em casa, pq para min esse é o espirito da coisa vc fazer vc criar, mas se o cara tem dinheiro de sobra e não quer ter essa relação com a moto e simplesmente fazer "por encomenda" blz cada um tem sua maneira de pensar e se relacionar com sua maquina

    ResponderExcluir
  5. pessoal tenho muita vontade de eu mesmo começar um projeto de uma café racer, não sou mecânico, mais gosto de mexer com as motos,porem não se por onde começar meu projeto, será que alguém poderia me ajudar, por exemplo qual moto seria melhor para começar, tipo de café que quero fazer é de pequena cilindrada, ate 250 no máximo , vou deixar meu zap 27999589232 meu Instagram gleydsonsrad1000 espero noticias obrigado, adorei a pagina

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.