sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Sexta Insana: Novas Triumph Bonneville

Nos já mostramos elas em primeira mão, e agora as informações sobre elas pipocam nos sites de notícia. Mas o fato é: O que podemos esperar dessa nova linha de motos?

Como sempre falei aqui, as fabricantes perceberam que a cena custom é cada vez mais forte e que o estilo Cafe Racer e afins vem tomando cada vez mais espaço. Mas o fato é que a Triumph "botou pra quebrar" com esses 5 lançamentos. Vou me poupar de escrever sobre todos os detalhes, pois temos ótimos textos a respeito (no fim dessa postagem passo os links) mas vou me conter ao que importa.
O modelo de entrada, a Street Twin, é muito bacana, mas como mesmo o pessoal lá no evento mesmo falou, é uma "tela em branco": a moto praticamente implora para ser customizada. E para nós aqui do Brasil, provavelmente ela não vai ser tão mais cara que a linha T100 atual. Assim, segundo a expectativa do pessoal da Triumph, vai ser o modelo mais customizado da linha, pois é mais simples e barata. O grande problema dela é ter sido ofuscada pelas irmãs maiores...
Thruxton: Pegada bem vintage
O fato é que tem bonnie pra tudo que é gosto: desde as com estilo mais "careta"para agradar aos tiozinhos até aos modelos mais radicais, que culminam com Thruxton R, as opções, somadas as mais de 470 peças disponibilizadas tornaram as "bonnies" motos que dificilmente se verá uma exatamente igual a outra.
O fato é que a Triumph concentrou para si mesma grande parte trabalho de customização. Obviamente as oficinas de customização não vão quebrar, e eu aposto que até vão ganhar mais dinheiro, pois agora a coisa vai se popularizar ainda mais. Porém, a opção de montar uma moto a seu gosto já na concessionária vai atrair um público que curte o estilo, porém que não tinha muito saco para ir atrás de peças, de uma oficina para customizar, esperar a moto ficar pronta, depois ir legalizar a modificação... a brincadeira ficou muito simples a partir de agora. Basta ter grana...

Ai que o bicho pega: Se a principal concorrente, a Nine-T aqui custa mais de 60 mil reais, podemos esperar que a Thruxton R, que é o "modelo dos sonhos" custe algo próximo a isso. Na verdade, esse modelo top de linha justifica o seu preço alto, pelo fato de ter suspensões excelentes, assinadas pela showa e pela Öhlins e um puta torque: Em torno de 11,40 mkgf A APENAS 4950 RPM. Basta dizer que é praticamente o torque de uma esportiva de 1000cc, mas que estas tem que virar láaaaaaaaaaaa em cima para atingir essa cifra. Ou seja: Vai ter muito jaspion desavisado tomando ralo nas arrancadas e nas serrinhas, das nossas queridas Triumph. Obviamente se vê de cara que essa motos não serão leves e a potencia deve ser entre os 100-120 cv. Mas isso é mais que suficiente para espantar a "má fama" da lerdeza das T100.
A charmosa versão black
E a partir de agora, para a tristeza dos puristas, toda linha 1200 vem cheia de apetrechos eletrônicos: Freios ABS, modos de pilotagem, acelerador eletrônico e controle de tração. Além da refrigeração liquida, que para muitos pode ser considerada uma heresia, mas que trouxe mais benefícios, além de ser ter o radiador bem discretinho. O fato é que a nostalgia ficou apenas no visual.
versão customizada de fabrica
Alguns jornalistas consideram esse o maior lançamento da Triumph, devido a quantidade de motos e o possível barulho que estas máquinas farão no mercado. Eu aposto que de fato, elas faram muito sucesso e vão forçar a concorrência a seguir esse caminho, e com isso, nós só ganhamos.

Para saber mais, você pode ver aqui, aqui, aqui, aqui e aqui


0 comentários:

Tecnologia do Blogger.