terça-feira, 15 de março de 2016

Ton UP: CX 500 Auto Fabrica, traseiras caídas,filosofo de cafe e outras coisas...

Formulas ou receitas prontas são uma grande tentação. Em todos âmbitos da vida, seguir um caminho já trilhado por outros facilita muito as coisas. Uns chamam isso de tradição, outros de dogmas. Mas o fato é que transgredir regras dadas e pensar com a própria cabeça fará toda a diferença.
Esse pensamento todo me veio ao ver esse projeto da Auto Fabrica: Ao ler a matéria no Bike Exif, onde os designers resolveram não brigar com as linhas originais do chassis, vendo beleza nele. Onde geralmente se "mete a serra" para alinhar o banco com o chassis, como manda a formula "cafe racer clássica". 
Nesse caso, temos uma daquelas motos que você ama ou odeia, mas que inegavelmente não se fica indiferente. A aposta da Auto Fabrica foi desafiar a traseira caída e a partir dai criar algo novo. Isso é visível em todo o projeto da moto, onde praticamente só há linhas orgânicas e uma beleza minimalista muito interessante.
Um dos sistemas de escapes mais fodas que já vi.
Esse projeto, é inspirador por vários ângulos. Veja:
Naturalmente para atingir um resultado desses, é necessário um know-how que a maioria dos construtores não possuem. Nesse caso, seguir uma formula geral é recomendado, mas sem esquecer que sempre em um detalhe ou outro é possível fazer algo diferente ou que fuja ao senso comum. Isso é visível no projetos ai embaixo, que tem a traseira caída: A CB 750 Rumblesmith e também uma CB 400 da Racer Machine,  que desconheço maiores detalhes, mas que ficou muito bacana.
Repare que as linhas desse projeto acompanham a traseira caída da CB, mas sem incomodar visualmente.
Obviamente não acho que todos os projetos devam ter a traseira caída, e acho que é fácil errar seguindo esse caminho. Mas fica a dica: Formulas muitas vezes são bem vindas, mas se você acredita que ao quebrar regras vai criar algo bacana, vai lá e faz. Obviamente também é preciso estar aberto as criticas, filtrar o que é construtivo e se der para fazer algo melhor, o fazer. Entre tentativas, erros e acertos, é que se evolui. 

3 comentários:

  1. Pra mim, a primeira moto visualmente é uma bobber.

    ResponderExcluir
  2. sim uma bobber, mas maravilhosa, e acho totalmente valido criar, afinal foi assim que surgiram os estilos.

    ResponderExcluir
  3. acho essa motocicleta linda e com uma mecânica fantástica

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.