quarta-feira, 4 de maio de 2016

Visita a São Paulo: Bendita Macchina


Há tempos queria ver de perto o trampo da Bendita Macchina que vem chamando muita atenção pelos seus trampos, inclusive da mídia televisiva. Mas qual será o segredo para esse sucesso?

Mock up sketches de alguns projetos.
A empresa que nasceu da união do Billy Pasqua e do Rodrigo Marcondes de cara tem um diferencial em relação a maioria das oficinas de customização: Apesar de ser "uma paixão" trabalhar com motos, ficou claro que a Bendita tem uma relativa organização vinda do mundo corporativo. Cada membro tem a sua função e apesar de cada moto ser única, há um norte a ser seguido em cada projeto. Infelizmente isso ainda é uma exceção aqui no Brasil.
O pessoal manja!
Falando em membros da equipe, talvez ai esteja o grande mérito da Bendita: Sua equipe é extremamente bem qualificada, desde jovens com formação em engenharia a gente que mexe com moto a vida toda e conhecia o espirito da customização antes da "febre começar".
O amigo Bill Lacerda mandando ver.
Já que falamos em febre, cabe ressaltar que a Bendita tem uma proposta e aparentemente um público diferente de outras oficinas que estão a "milênios" em São Paulo: A sua proposta é oferecer meios de mobilidade urbana, no caso as nossas amadas motos, mas com estilo e acabamento diferenciados. A oficina é muito relacionada pelo público leigo a construir Cafe Racers, mas nas próprias palavras do Billy Pasqua, eles fizeram até hoje apenas uma Cafe Racer de fato... as demais motos podem ser denominadas de Scramblers/street trackers ou então em Bratstyles... nesse caso, sinceramente pouco importa enquadrar as motos da Bendita Macchina em um estilo pré determinado, mas sim ter em mente a sua proposta diferenciada e a forma com o pessoal leva as coisas por lá.
Na próxima foto, o mantra da oficina, famoso pra caramba, e que funciona.
Billy Pasqua: Responsável pela parte operacional
A proposta diferenciada fica clara na própria sede da oficina: Fica na região de pinheiros, em uma galeria rodeada por empreendimentos com uma pegada "cool: Ao lado é possível ir a um salão de beleza com pegada hipster, ou tomar um café numa cafeteria um pouco a frente da oficina.
Fotos: Revista Cycle World

O local é frequentado por muita gente que talvez nunca tenha pensado em ter uma moto, mas ao olhar as motos estacionadas ali, se sente instigado. Eu mesmo presenciei uma senhora (com um ar hipster) que chegou com sua bicicleta e falou algo como "- posso deixar minha bicicleta ao lado dessa moto tão bonita?"
Ou seja, a pegada das motos criadas pela Bendita Macchina é amigável e dificilmente alguém ao olhar, não deixa de reparar no ótimo acabamento dos projetos e dará um sorriso. A própria escolha das motos utilizadas é certeira dentro da proposta amigável: Geralmente são utilizadas como base as pequenas Hondas e Yamahas de baixa cilindrada zero km, que saem da concessionária direto para "faca".
Mas segundo o Billy, a engenharia geral da moto procura ser bastante respeitada. O resultado disso é que dificilmente uma moto da Bendita dará dores de cabeça as seus proprietários, sendo que em muitas vezes, está comprando sua primeira moto e quer algo legal, logo de cara. 
Essa formula tem se mostrado de sucesso, sendo que hoje em média 5 novos projetos deixam a oficina por mês, o que é um forte mérito, até mesmo por uma moto com essas características custar uma cifra algo maior do que uma moto similar que não sofreu customização ao sair da fabrica. Mas isso tem um motivo que fica claro ao ver esse vídeo:
E em São Paulo, ao contrário de outros locais do país, na prática tudo acaba sendo mais caro, então os preços para a realidade paulista são justos, principalmente pelo fato de não haver enrolação em relação a prazos e outros inconvenientes que o pessoal passa quando a ideia e mandar customizar a moto... De qualquer forma, a Bendita Macchina "exporta" numa quantidade razoável para outras capitais do país, em especial ao Rio de Janeiro. 
Rodrigo Marcondes: Sócio responsável pelo atendimento ao cliente. Motivos para sorrir? Com certeza!
Obviamente o pessoal volta e meia cria algo muito bacana e com proposta mais ousada e agressiva do que as habituais motos que são feitas.  Por exemplo, essa motoca a´embaixo vai dar o que falar em breve... 
Honda CB 300 Brat e ao fundo, temos uma Fazer 250 customizada.
Obviamente que há onde melhorar. Digo isso tanto pelas palavras do Billy como pelas reuniões que presenciei e por mera observação. Mas simplesmente pelo fato de que  o pessoal tem essa consciência e caso eles consigam manter o foco e a equipe, fatalmente a Bendita Macchina alçara vôos mais altos, sendo uma das referências mundiais do meio, se já não é. Para acompanhar  trabalho deles, recomendo olhar o Instagram

10 comentários:

  1. Esse projeto que vai dar o que falar, é uma ktm? Esse chassi laranja aí hein!

    ResponderExcluir
  2. Atrasado estou em comentar...
    Ótima matéria Douglão. Já tive o prazer em falar com os colegas da Bendita e são gente finissima e excelentes profissionais. Todo sucesso é merecido.

    ResponderExcluir
  3. A dúvida é sempre o preço...parece tabu comentar.

    ResponderExcluir
  4. Preço gira em torno de uns 10k+ por projeto (fora a moto), creio eu.
    É um belo trampo, obra de arte mesmo. A que mais gostei foi a "Lusco-fusco - Yamaha Fazer 250cc" muito linda. O tanque é muito bonito, uma pena não saber qual é. Haha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala beleza? A Lusco-Fusco é minha, obrigado pelo elogio. O tanque dela é de uma CB350 de 1970. Abs

      Excluir
  5. Motocicleta  cada uma mais linda nesse espaço virei fã

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.