segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Yamaha RX 80 Cafe Racer


Quem é de São Paulo e frequenta os encontros de clássicas no Pacaembu ou já foi em um Distinguished Gentleman's Ride, já viu essa pequena grande cafe racer liderando o pelotão no evento.
Frente baixa, sem para lama, com semi guidões. Pronta pra correr
Thiago Matiussi, o proprietário, encontrou a pequena em Jundiaí pelo site OLX, depois de trazida para a capital, a moto recebeu alguns ajustes para ganhar a placa preta e após isso foi para a Recar para ser "cafeínada", vale lembrar que a Recar é uma das maiores referências e até onde meus parcos conhecimentos sabem, a pioneira em cafe racer no Brasil, muito antes dessa explosão de projetos, a oficina já mandava ver em diversos projetos.
Tubo do óleo 2T fica perto das jóias da família, se é que me entendem...
Quadro encurtado, mesa retrabalhada para retirar os "risers" foram só o começo. Inspirado nas Norton Manx, foi feito um caprichado trabalho de fabricação do tubo de óleo 2 tempos a frente do banco.
O banco integrado a rabeta foi inspirada nas Mondial e Italjet e ajudam a dar o caráter mais racing a moto. A traseira tem um para lama mais curto com a nova lanterna. Já a frente não possui para lama.
Mesa retrabalhada e o tanque original, como novos
O velocímetro é uma peça incrível e quando vi pessoalmente essa moto anos atrás no Pacaembu, foi uma das coisas que despertaram minha curiosidade. A peça é um amálgama de um globo ótico de Ducati com velocímetro Smiths da Royal Enfield Indiana. Setas novas com lente transparente, semiguidões e um espelho ponta de guidão apenas do lado esquerdo completam a frente baixa e invocada.
Motor retrabalhado, escapamento Sarachu e suspensão marzocchi
O motor foi retrabalhado com a receita das Yamahas de corrida da época mas não temos os números pois a mesma nunca foi medida formalmente, o que sabemos é que ela corre bem e faz barulho, graças ao escapamento Sarachu que ajuda a dar um empurrãozinho a mais além de gritar mais alto.
Rodas e pneus casam perfeitamente com essa moto e são ótimas para qualquer projeto de pequena cilindrada
Rodas tamanho 18" com aros Viper e pneus Vipal que não são caríssimos mas são bonitos e funcionais. Os freios são os originais a tambor e a suspensão dianteira é original com a mola trocada por uma nova apenas. As suspensões traseiras são de primeira, Marzzochi, a elétrica originalmente de 6v foi para as mais comuns 12v e a bateria está na frente do cilindro, o que ajudou a limpar a lateral abaixo do banco da moto.
Rabeta integrada ao banco em couro preto
Como todo grande projeto, o mesmo ainda não está finalizado, pois sempre há algo para aprimorar. Os próximos passos serão aumentar o cubo dianteiro mas ainda mantendo o freio dianteiro a tambor, pois o Thiago gosta do visual vintage que os mesmos proporcionam. Além do cubo, a suspensão dianteira também será substituída por outra melhor.
Uma bela visão é essa superior, não?!
Vejo muita bobeira sendo dita na internet e uma delas é sobre a cilindrada, o tamanho das motos e posso afirmar com toda a convicção que essa é uma das maiores bobagens que se pode ouvir. Para aqueles que não julgam uma moto pela cilindrada, é um deleite poder apreciar essa bela Cafe Racer.
Essa Yamaha RX é ouro puro e vale quanto pesa!


2 comentários:

  1. Quanto a bobeiras ditas...litragem de motor e etc.
    Gosto de ver que os mesmos que falam estas asneiras, grande parte das vezes tem uma 7galo ou uma bidonville com a estética impecavel. Porem não aceleram. Muito "CAFE RACER" é um senhor de 50anos que pilota seu apaupador de ego a 60km/h e se diz o ACE OF STREET.
    Considero muito mais café o cara que tem uma moto pequena e se diverte com ela ao limite se sua maquina.
    E outra.... 2 tempos 80cc é mais potente que muita 150cc 4 tempos.

    ResponderExcluir
  2. Motocicleta  incrível e de motor fantástico não tem o que reclamar dela

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.