domingo, 22 de janeiro de 2017

Dafra Super 50 Cafe Racer - Alex Rossi

Pergunta: Quando você começou a curtir motos? E quando você começou a curtir Cafe Racers?
A resposta para a primeira pergunta geralmente é "na infância", já a segunda pergunta é majoritariamente quando "ficamos adultos".
Conheço alguns jovens que começaram cedo, como o amigo Luiz Henrique (melhoras com a perna garoto), mas hoje apresento-lhes o mais precoce dos cafezeiros que tive a oportunidade de conhecer e o seu primeiro e ótimo projeto, Alex Rossi e sua Dafra Super 50.
Orgulhoso e estiloso em sua Cafe Racer
Com apenas 11 anos ele já montou a sua própria Cafe Racer, com alguma ajuda pontual e supervisão é claro, mas a mão na massa foi toda dele (e eu que mal troco um parafuso... shame on you, Reginaldo). E vamos para a moto em si.
Velocímetro com indicador de marcha ao lado
Como já dito acima, a moto é uma Dafra Super 50, e a escolha da mesma se deu por dois motivos, primeiro porque é uma 50cc, ou seja, uma moto que um garoto de 11 pode rodar (com restrições) e segundo pela base ser similar a das Yamahas F5 e Honda C110 50cc, ambas dos anos 70.
Frente mais baixa deixou a pequenina invocada
Como uma legítima Cafe Racer, o primeiro passo foi aliviar peso, tudo que era pesado ou supérfluo foi retirado, como bagageiros, suporte de painel entre outras coisas e foram substituídos por peças mais leves.
Como sabemos, montar uma Cafe Racer não é algo barato, portanto soluções criativas se fazem necessárias, principalmente quando se tem um orçamento enxuto de R$ 1.250,00 e 45 dias de prazo para terminar o projeto. Disciplina aprendida desde cedo, algo louvável.
Traseira bem resolvida com o escape que chama a atenção
Por exemplo, os semiguidões são canotes de bicicleta e são fixados por mesas também de bicicletas e ficou legal. A lente da lanterna também veio de uma bike. Os retrovisores são de bike tb, são simples, mas para uma moto desse porte e dada as restrições de rodagem, funcionam. Não recomendo para um projeto que rode nas ruas. O banco foi feito sob medida pela Sindrome Kustom Works de Minas Gerais e que já foi assunto aqui nesse blog. O Escape foi feito pelo Cristiano Silva do Paraná e é uma bela peça que acrescentou muito ao projeto.
Suspensão traseira com reservatório
O orçamento ultrapassou um pouco por conta do alarme com rastreador, mas no final, o mesmo não foi computado pois não fazia parte das modificações propriamente ditas.
Semi guidão feito de um canote e retrovisor de bike
Foi instalado uma termotape pelo próprio Alex, quem já fez sabe o quanto desconfortável e irritante pode ser essa instalação.
A rabeta feita em fibra junto com o banco completam o visual Racer que ficou bem legal. Um projeto baixo custo mas longe de ser mal acabado.
Um ótimo começo que se continuar nessa toada poderá nos revelar um customizador de mão cheia em breve.
Criatura e criaturinha ou seria criaturinha e criatura...
Agora um listão do que foi modificado.

- troca do guarda pó
- velocímetro
- semi guidão
- manoplas Circuit marrons
- retrovisores de ponta de guidão
- filtro de ar esportivo
- mudança dos grafismos do tanque, tampas e rabeta
- para lamas encurtados
- mudança do sistema elétrico escondendo-os o máximo possível
- retirada do cavalete central
- troca das setas
- contato da chave instalado na lateral da moto logo abaixo do tanque
- troca das molas originais por uma suspensão traseira com reservatório

5 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa e pela "acabativa" garoto!!!! Criatividade foi oque não faltou neste projeto!
    Todas estas características se mantidas te tornarão um EXCELENTE PROFISSIONAL em qualquer área quando adulto!

    ResponderExcluir
  2. Estava pensando em fazer uma cafe racer com uma Super 100 da Dafra

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.